Seguidores

domingo, 28 de março de 2021

PLANTANDO TOMATES


 

RECUPERANDO CACTOS


BOM DIA, QUERIA MOSTRAR AQUI, O QUE ACONTECEU COM O CACTO QUE TRANSPLANTEI DO VASINHO PEQUENINO EM QUE ESTAVA, PARA OUTRO, COM TERRA NOVA E PRÓPRIA. EU MESMA NEM ACREDITEI QUANDO VI!


ESTAVAM CINZAS, PEQUENINOS...
E AGORA, VERDINHOS E ENORMES EM MENOS DE 72 HORAS!!!
ALGUÉM TEM UMA EXPERIÊNCIA PARECIDA? CONTE AQUI PARA NÓS.

 

PLANTANDO PITAYA

BOM DIA, AMORES, COMO É BOM ACOMPANHAR O CRESCIMENTO DAS PLANTINHAS QUE CULTIVAMOS.










 

terça-feira, 23 de março de 2021

Pitaya III

BOA TARDE, SEGUIMORES!!!
OLHA SÓ COMO ESTÃO CRESCIDINHOS OS BEBÊS!!!





 

quinta-feira, 18 de março de 2021

Plantando Pitaya II

 

Bom dia, seguimores 💚

Olha só que gracinha os brotinhos bebês👶



terça-feira, 16 de março de 2021

Plantando Pitaya

 






















                                                            











ACOMPANHE PARA VER A GERMINAÇÃO E CRESCIMENTO DA PLANTINHA!

Vamos fazer uma horta em casa

 Ter sua própria horta além de ser uma atividade relaxante, representa qualidade de vida, tanto pelo envolvimento com a natureza quanto pela experiência de colocar a mão na terra para produzir seu próprio alimento fresco e produzido no conforto do seu lar. Para as crianças, participar dessas atividades com a família cria um laço que nunca será esquecido!!

Experimente!! Seja no chão de terra, em um espaço menor, ou em vasinhos, será uma experiência sensacional!!!

Quem fizer essa experiência, fotografe, mande para mim! Conte como foi. Vou adorar publicar no nosso Cantinho!!!!

foto André Garden


sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021

Fotografando as diferenças que nos tornam únicos

 Objetivo


Ressaltando a importância do estudo imagético como parte de um trabalho voltado para as práticas discursivas do olhar, desenvolvemos o Projeto Fotografando as diferenças que nos tornam únicos  com o objetivo de desenvolver um  trabalho com imagens, mais especificamente a fotografia, como fonte de pesquisa,  estudo e valorizar a identidade desses alunos como parte fundamental na construção da identidade do grupo AEE- escola, partindo do registro fotográfico cotidiano realizado por alunos, dentro e fora do espaço escolar, onde estarão exercitando uma socialização criativa. Ao utilizar a fotografia como instrumento de inclusão social, se está de maneira simples próxima ao dia a dia desses jovens, atuando contra posturas negativas em relação aos mesmos.


Porém, com a chegada da pandemia do Covid 19, alguns planos tiveram que ser adiados, e outros tiveram que ser reformulados.
E nosso projeto foi adaptado para o trabalho remoto.
Mais abaixo vocês encontrarão o projeto , e acima/depois deste post, poderão se deliciar com o andamento e resultados do mesmo.
Espero que gostem e possam multiplicar o mesmo.


Leitura imagética

Continuaa...

 ...Facebook, Instagram, celulares… se o que está acontecendo é uma pista, isso significa que as experiências fotográficas vão se multiplicar de tal forma que os tempos atuais serão apenas a pré-história desse movimento. Esse momento de escrever e documentar a história através das imagens não se restringe apenas ao mundo da arte e do jornalismo… Através do acesso aos recursos de produção de imagens as pessoas estão aprendendo a “ler e escrever” imagens. Elas estão aprendendo no seu cotidiano, sem se dar conta de que estão “ lendo” fotografias a todo momento.

Fotografia como linguagem, é comunicação e expressão. Hoje, num mundo que está cada vez mais imagético, crianças e muito jovens estão aperfeiçoando suas capacidades de leitura de imagens.

(André Carrieri-2014)








Fotografando as diferenças que nos tornam únicos

Continua...



Metodologia



A máquina de fotografar e fotografar, não é estranho para os alunos, porém, algumas abordagens devem ser realizadas, para que se tenha uma visão geral da turma. Por se tratar de alunos com necessidades especiais de educação, se faz por bem utilizar de aulas práticas para uma melhor aprendizagem. 


Etapas



  1. Cada aluno escolhe uma foto revelada do acervo da família , apresenta na data e horário marcado , em reunião do grupo no zap.

  2. Em outra data/ reunião, eu apresento alguns equipamentos fotográficos, e conversamos um pouco sobre eles, instigo com questões, imagens, vídeos de uso.

  3. Pose para foto: essa aula  trataremos  de foco, luz  e enquadramento, para que façam a selfie para  ilustrar o projeto .

  4. Quem sou eu? Feito as selfies, vão enviar para mim. E então, será a vez de se identificarem na tela. Nesse momento, é hora de falarem um pouco sobre si.

  5. Prática: período em que terão a tarefa semanal de fotografar um tema.(um tema por semana) e na data marcada, escolhem e apresentam 3 fotos que fizeram e gostaram mais( dentro das noções aprendidas no item 3)

  6. Edição: Falaremos um pouco sobre como e quanto mexer nas fotos.

  7. Exposição em abril: E finalizaremos com uma exposição virtual dos trabalhos, nas redes sociais da escola, em abril, mês da fotografia no município de Itanhaém. 



sábado, 13 de fevereiro de 2021

Projeto Horta na Escola - parte VI

 

Quiabos são maravilhosos, possuem lindas flores, produzem muito, produzem por muito tempo, e são resistentes.


Depois de todos já terem experimentado nossos quiabos, refogado com carne moída, com frango, fritos, etc...












Adivinhem a receita que surgiu do outro colega de trabalho, Wesley?


Simmmmm!!!!

Quiabo em Conservas!!!

Gente, vocês não imaginam, como é bom!!!!!

Não vejo a hora, de dividir tudo isso com as professoras, crianças e famílias!!!!!!

#amormedefine



Nossa Horta - parte V

 

E então, foram para as covas definitivas. Não falei ainda, não é? São quiabos!!!

Olha só as flores, que coisa mais linda!!!!

Cuidadas, regadas, vitaminadas ,rs, vigiadas, por nosso colega de trabalho Carlos.


E os pequenos pezinhos já começaram a dar frutos!!!

Criação da nossa Horta - Projeto Horta - Parte IV

 

Começamos assim: 
tratando o espaço, limpando, cuidando... e tivemos ajuda ...risos...

Terra boa, sementeiras reaproveitando materiais, sementes, cuidados.

Cada  sementinha brotando, era uma alegria para nós...




Projeto Horta - Parte III - (fonte - Blog Escola da Inteligência)

 Que a escola não é responsável apenas pela formação acadêmica, isso todos os educadores já sabem, não é mesmo? Pelo contrário, é importante investir em uma educação completa, que desenvolva as crianças por inteiro, trabalhe suas habilidades socioemocionais e o senso de responsabilidade. E, para isso, uma boa sugestão é criar uma horta na escola.

Ficou na dúvida em como isso pode ajudar? Pode parecer que os assuntos nem se relacionam, mas uma simples hortinha pode ser uma grande ferramenta no desenvolvimento infantil. Afinal, além de colocar os alunos em contato com a natureza, por meio dela também é possível criar um senso de responsabilidade maior nas crianças. Assim, a escola é capaz de formar pessoas mais completas, empáticas e com senso de coletividade.

Quer saber mais? Confira essa lista com 5 motivos pelos quais você deve ter uma horta na escola!

1. Apresenta a origem dos alimentos

Um dos motivos mais claros para criar uma horta na escola é apresentar para as crianças a origem dos alimentos. Entender, na prática, como os tubérculos e vegetais crescem, e perceber o esforço e cuidados necessários até que o alimento chegue à mesa é muito importante e bem mais efetivo que ensinar apenas no papel ou por meio de gravuras.

Vale a pena também mostrar para a criança cada etapa do desenvolvimento do alimento e quanto tempo ele demora para amadurecer.

2. Incentiva o cuidado com a natureza

Outro fator importante é que, ao colocar a criança para cuidar de uma horta, ela aprende a ter mais cuidado com o meio ambiente.

Não há uma maneira melhor de desenvolver o senso de sustentabilidade do que colocando o aluno em contato com a natureza e mostrando, na prática, a diferença que ele pode fazer. É importante abordar, durante as aulas, as dificuldades da agricultura e as consequências do uso indiscriminado de agrotóxicos e o benefício de consumir alimentos orgânicos.

3. Ajuda a criar senso de responsabilidade

Esse é um motivo muito bom para ter uma horta na escola: o desenvolvimento do senso de responsabilidade nas crianças. Se você ensinar, desde cedo, que o cuidado com outro ser vivo é o que faz ele crescer e prosperar, com certeza essas crianças se tornarão adultos mais preocupados com o ambiente e a sociedade da qual faz parte.

Nesse sentido, é legal deixar cada aluno responsável por uma plantinha específica, para que ele lhe ofereça a devida atenção e perceba a importância de seus cuidados para o desenvolvimento vegetal.

4. Melhora a coordenação motora

Mexer com algo tão delicado quanto vegetais e tubérculos é uma ótima maneira de desenvolver a coordenação motora dos alunos. Às vezes, as crianças podem ser um pouco bruscas e desajeitadas com plantas e animais, e cuidar de uma horta pode fazer toda a diferença. Mostre como os vegetais são delicados e que, quando elas arrancam ou rasgam folhas, estão estragando o alimento.

5. Promove uma alimentação mais saudável

Ter uma horta na escola promove uma alimentação mais saudável e naturaliza o consumo de legumes e vegetais. Se o aluno ajuda durante todas as etapas de desenvolvimento da planta, ele tem curiosidade de experimentar o alimento que ajudou a produzir. Ao final do ciclo, divida os alimentos colhidos na horta e dê para a criança levar para a casa; ou combine um almoço ou lanche comunitário para que todos possam experimentar e comentar sobre a satisfação de consumir o alimento cultivado pelo grupo.

Viu como ter uma horta na escola pode ser importante para o desenvolvimento das crianças? Além de ajudar a cuidar e se preocupar com o meio ambiente, essa prática ainda aumenta o senso de responsabilidade e coletividade. Legal, não é mesmo?

Projeto Horta na Escola - parte II

 E então, chegou o tempo que nunca imaginávamos que poderia chegar... uma escola vazia, uma escola silenciosa, sem movimento ou cor... ou vida. 
A pandemia nos obrigou ao distanciamento, e à frieza dos relacionamentos  e contatos à distância.
Na escola, apenas móveis, equipamentos e funcionários administrativos. Professores e alunos em casa, se comunicando pelas mídias... a escola... triste ... sombria ... Uma vez a cada quinze dias , os pais comparecem para buscar e entregar atividades, as professoras então, dão o ar da graça, tudo parece que vai ficar normal....mas passa muito rápido... e tudo volta a ficar triste...
Então depois de tudo limpo e organizado, tudo mais fácil, pois sem movimentação para desarrumar ou sujar... tivemos a ideia de mudar ...
E aí todos os trabalhos de artes das professoras e crianças, foram para os painéis das paredes, todas as paredes!!! Tudo colorido, alegre, recebendo aos poucos e poucos pais a busca de atividades, com mais alegria, positividade e acolhedor.
Mas era pouco. Nosso espaço externo, é enorme. Vazio e triste estava. Que tal uma horta? Mão na massa.
Criamos o projeto com a intenção de testar os resultados e deixar pronto para quando houvesse o retorno das aulas, professoras e alunos, pudéssemos colaborar para o desenvolvimento da atividade, com tudo que precisassem.
E assim foi...

HORTAS DE PAZ - Projeto horta na escola -Parte I

 

"Horta de guerra: pequeno terreno que em tempo de guerra vem preenchido por um jardim ou por um parque público para poderem cultivar hortaliças, verduras, legumes e alimentar a população. Artificio típico de uma economia de sobrevivência. Qualquer espaço torna-se bom para semear: minúsculas hortas de guerra podem até mesmo ser feitas em casa, na banheira ou dentro de caixas de sapato."


(Edoardo Albinati, Orti di guerra, Fazi, Roma 1997)


Falamos, hoje, ao invés disso, de "hortas de paz” (www.ortidipace.org) em contraposição implícita às hortas de guerra. Mas é sempre uma pequena horta natural, no pátio da escola ou em um pedaço de terra vizinho a ela. Cultivar uma horta, na escola, significa aprender a "desacelerar". É uma experiência altamente educativa. Semear e cultivar frutas e hortaliças são atividades que colocam em evidência as habilidades manuais, os conhecimentos científicos, o desenvolvimento do pensamento lógico interdependente. Mas significa, acima de tudo, atenção aos tempos de espera, paciência, maturação da capacidade de previsão. Trabalhar com a terra ajuda os jovens a refletir sobre as próprias histórias locais e familiares. A maior parte dos estudantes italianos tem, seguramente, um pai, um avô ou um bisavô que tem ou que teve a ver com o cultivo da terra. Na horta, os jovens unem "teoria e prática", isto é, o pensar, o raciocinar com o projetar e o fazer. Em uma horta, aprendem-se os modos, os momentos certos para semear. Antes de fazer isso se deve preparar e fertilizar o terreno. É preciso, depois, acompanhar com cuidado os produtos atendendo às necessidades de água e ao controle dos parasitas. Podem-se conhecer, enfim, as combinações e as rotações justas entre as várias plantas. O trabalho dos campos, o dos agricultores, dos cultivadores, é um dos mais difíceis do mundo, que requer grande habilidade, experiência e múltiplas competências. (Gianfranco Zavalloni)

sexta-feira, 15 de janeiro de 2021

A INTERVENÇÃO PSICOPEDAGÓGICA

 A intervenção psicopedagógica pode ser entendida como uma interferência realizada por um profissional da psicopedagogia em pessoas que apresentem dificuldades de aprendizagem.

A psicopedagogia busca a melhoria das relações com a aprendizagem. Isso porque o seu objeto central de estudo está estruturado em torno do processo de aprendizagem humana: seus padrões evolutivos normais e patológicos. Na intervenção psicopedagógica o procedimento adotado visa interferir no processo, com o objetivo de compreendê-lo explicitá-lo ou corrigi-lo, introduzindo novos elementos para o paciente, quebrando o padrão e as dificuldades anteriores gradativamente, aprimorando suas habilidades e superando seus déficits de aprendizagem.

 

As intervenções psicopedagógicas podem se traduzir em uma fala, um assinalamento, uma interpretação que o psicopedagogo realiza em crianças com déficit de aprendizagem, além de outros fatores específicos somados aos sinais apresentados pela criança na escola e/ou no meio social. Consideramos então, que um dos principais objetivos da psicopedagogia é a intervenção, realizando a mediação entre adolescentes, crianças ou adultos e os seus objetivos específicos de conhecimento.

 

É importante salientar que as causas das dificuldades e dos transtornos de aprendizagem são diversas, e por isso não é uma tarefa fácil para os educadores reconhecerem e compreenderem essa pluricausalidade. As escolas acabam rotulando e punindo esse grupo de alunos à repetência ou reprovação apenas, o que pode vir a causar mais problemas psicológicos ao jovem no futuro. Neste contexto sugere-se que haja um trabalho em conjunto entre o psicopedagogo e o professor. É uma boa opção organizar turmas para o trabalho em grupo, reunindo alunos que aprendem com mais facilidade e alunos que apresentam dificuldades de aprendizagem, porque crianças que entendem suas linguagens podem funcionar como professores uns dos outros.

 

Para a Psicopedagogia, os papéis de professores e alunos se alternam o tempo todo, pois podemos afirmar que no processo ensino-aprendizagem  visto pela psicopedagogia também aprende-se sobre nós, sobre a nossa forma de ensinar, na qual, os outros servem de espelho.

 

“Todos os seres humanos são capazes de aprender, mas é necessário que adaptemos nossa forma de ensinar.”

– Vigotsky

 (Nádia Bossa)

 

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

Os encantos dos Cantos da casa

 ...Criatividade e curiosidade são elementos relacionados e devem ser estimulados desde cedo. ... uma tendência natural principalmente das crianças pequenas , que se desenvolve conforme os estímulos ...e fomento à sua curiosidade natural.

Este projeto levou em consideração esta forte característica da infância e uma arte que instiga muito a curiosidade, principalmente e cada vez mais, nos tempos modernos, a Fotografia.

Na nossa experiência, foi muito prazeroso ouvir os relatos da mamães, dizendo quanto os filhos se interessaram por essa brincadeira de fotografar, e como o interesse pelo quê fotografar foi surpreendente para as mamães e para mim. 

Tanto ou mais, que os momentos juntos, fotografando, é importante o momento de apreciarem juntos as fotos tiradas, observando cada detalhe, descobrindo detalhes que não tinham percebido antes, e admirarem o produto da sua "arte".

Vamos comigo, nos deliciar com o olhar dos pequenos:



Ahhhh, o seu cantinho....

Quem resiste??


De quem são esses pezinhos? Temos aqui uma tentativa exitosa de composição???? 
Quis fotografar o irmãozinho e sua tetê! Gente, xonei!!!!!


Nesta foto a criança queria fotografar o avião que estava passando!
Uall!!



Relatos de duas mamães, olha que riqueza!

O que dizer dessa experiência?
Para quem esperava somente fotos do chão, distorcidas, tremidas, ou talvez selfs..... surpresa, não é?
Um dos objetivos é poder tornar o tempo da criança em casa menos tedioso, oferecendo-lhe meios de brincar, se divertir, explorar, solidificar laços familiares, produzir, e aguçar o que elas mais têm dentro de si...a curiosidade.
O momento de apreciarem as fotos tiradas no dia, juntos com sua família, é um momento prazeroso e cheio de intenções, podem e vão com certeza, observar detalhes nas fotos, que antes não viram, é muito rico.
Gostaram?
Fiquem de olho, logo teremos mais novidades!!!!!!!!
Obrigado para as mamães que participaram!!
Natália
Andreza
Daniele
Um beijo enorme crianças lindas!
Davi
Artur
Kauê
Elisa

quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Os Encantos dos Cantos de Casa

Olá, olá!!
Hoje eu vim até nosso Cantinho contar uma novidade fresquinha. Um projeto piloto que estou montando e contando com a colaboração de 6 crianças e de 5 mamães!!! Uma grande brincadeira de fotografar!!!! O quê? Fotografar é brincadeira? Sim!!!!! Uma grande brincadeira de aguçar as curiosidades já natas de nossas crianças, apuram o olhar, e eleva a auto-estima ! E em tempos de pandemia, nada como exercitar tudo isso, dentro de casa, no quintal, da janela de casa. Vamos chamar de Encantos dos Cantos: que cantos? os cantos de casa!!!
Os Encantos dos Cantos de Casa, pelos olhares inocentes de nossas crianças.
Aguardem, pois estamos esperando muitas emoções!!!
Bjis.

sexta-feira, 29 de maio de 2020

A Pandemia Covid-19

E hoje estamos há 70 dias praticando o distanciamento social. Aulas presenciais suspensas. E trabalhando apenas serviços essenciais, e saídas apenas as que não podem ser evitadas.( na teoria, porque aqui é Brasil).
Nossas crianças e suas famílias reaprendendo a conviver 24 horas por dia juntos. Incluindo inclusive, estudos dos conteúdos escolares. As professoras tendo que descobrir, aprender e reinventar novas formas de ensinar. Nada está sendo fácil. Mas agora é a hora de apresentar o que temos. Boa vontade, amor, respeito, empatia. Todos juntos, com humildade, e coragem de dizer: não sei, está difícil, me ajude.
 Nessa hora cresceremos todos.

domingo, 19 de abril de 2020

BRINCADEIRAS PARA BRINCAR COM A FAMÍLIA

https://soumamae.com.br/5-brincadeiras-para-dias-chuvosos/

Acessem esse link e vejam quantas ideias legais, que o blog trás para brincar em casa com a família. Vamos experimentar?

sexta-feira, 17 de abril de 2020

Vamos brincar um pouco?

15 piadas para você brincar com os seus amigos

O que um cabide falou para o outro? Descubra!
Publicado quarta 8 abril, 2020
 O que um cabide falou para o outro? Descubra!
Cebolinha e Cascão - Divulgação
1. Um doce aprendeu caratê. Qual é o nome do filme?
–  Caratê Quindim (Karatê Kid).

2. O engenheiro olhou para o espelho. O que aconteceu?
– O engenheiro civil (se viu)!

3. Por que a Lua joga videogame?
–  Porque ela tem fases!

4. O que o combustível disse para os amigos?
– Etanóis (eita, nós)!

5. O que o cachorro quer ser quando crescer?
– CÃOtor (cantor).

6. O Cebolinha cortou o dedo, mas foi o Cascão quem chorou. Por quê?
–. Porque cebola cortada dá vontade de chorar.

7. O que o número 3 disse para o número 30?
– Ei, passe a bola!

8. Quem bate na porta mesmo quando não quer entrar?
– O marceneiro.

9. O engenheiro olhou para o espelho. O que aconteceu?
– O engenheiro civil (se viu)!

10. Por que a manga cai do pé?
– Porque ela não tem escada para descer.

11. Qual é a semelhança entre um cobertor de lã no verão e um trem andando?
– Os dois estão fora da estação.

12. O que um cabide falou para o outro?
– Está na hora de trocar de roupa!

13. O que é um pontinho preto dentro do túnel?
– Não dá para saber porque está tudo escuro.

14. Por que a manga cai do pé?
– Porque ela não tem escada para descer.

15. Quando você engole as palavras?
– Quando toma sopa de letrinhas.

quarta-feira, 15 de abril de 2020

MASSINHA CASEIRA - COMESTÍVEL

Massinha comestível
Se você está considerando em fazer atividades de artes com as crianças, e entre as atividades vai incluir um passo a passo de massinha de modelar caseira, uma dica é fazer uma receitinha que seja comestível, assim, no caso dos pequenos levarem a massinha à boca, não terá nenhum perigo.

Ingredientes
  • 4 xícaras (chá) de farinha de trigo
  • 1 xícara (chá) de sal
  • 1 e 1/2 xícara (chá) de água
  • 2 colheres (sopa) de óleo
  • 1 colher (sopa) de vinagre
  • Corante de alimentos líquido (cores desejadas)

Passo a passo
passo a passo massinha comestível
Quanto mais corante, mais intensa fica a cor
  1. Em uma vasilha coloque todos os ingredientes, exceto o corante;
  2. Mexa bem até o líquido misturar bem com os ingredientes secos;
  3. Deixe a massa fica bem homogênea;
  4. Separe uma bolinha de massa;
  5. Faça uma abertura central e pingue algumas gotas de corante;
  6. Vá misturando bem o corante à massa até a cor ficar homogênea.

Dica: depois de brincar guarde a massinha em um pote fechado para não ressecar. Caso a massa fique seca adicione um pouquinho de água, e caso fique mole, é só acrescentar um pouquinho de farinha para regular.

sábado, 11 de abril de 2020

RECEITA CASEIRA DE MASSINHA

NADA MAIS GOSTOSO DO QUE BRINCAR COM AS CRIANÇAS.
ESTA RECEITA DE MASSINHA É ÓTIMA PARA FAZEREM JUNTOS.

A massinha de modelar caseira é um recurso muito útil e prático. Através de ingredientes simples, a massinha pode se transformar em um ótimo recurso para trabalhar com esculturas no espaço de atendimento, com alunos ou em workshops. O trabalho com esculturas é muito utilizado para trabalhar os aspectos da sombra.  A argila é outro recurso, porém a massinha é uma solução mais limpa, e geralmente encanta o fato de poder ser confeccionada pelas próprias mãos.

 MASSINHA DE FARINHA DE TRIGO
  • 2 xícaras de farinha de trigo
  • ¾ de xícara de água
  • Corante natural (cúrcuma, açafrão, beterraba em pó) ou artificial (para bolo)
  • ½ xícara de sal
  • 1 colher de sobremesa de óleo
  • Pote para misturar
  • Colher
Coloque os ingredientes secos no pote, sem o corante, e misture-os bem. Em seguida acrescente o óleo e vá juntando a água aos poucos. A massa precisa ficar firme e fácil de ser manipulada. O passo final é acrescentar o corante até atingir a cor preferida.
Caso você queira fazer a massinha de diversas cores, basta separá-la em pequenos pedaços antes de acrescentar o corante e misturar cada um dos pedaços com cada um dos corantes com as cores que você escolheu.
Pode ser armazenada em potes com tampa ou saquinhos de plásticos bem fechados por até uma semana.

segunda-feira, 6 de abril de 2020

ENSINO À DISTÂNCIA

MAIS FOTINHOS CHEGANDO DOS NOSSOS ALUNOS, ESTUDANDO EM CASA, COM O APOIO DA FAMÍLIA!! ESTAMOS MUITO ORGULHOSOS DE VOCÊS TODOS!!!! PARABÉNS!
#ficaemcasa










EDUCAÇÃO CASA/ESCOLA

 E CONTINUAM A CHEGAR FOTOS DE NOSSAS CRIANÇAS, ESTUDANDO MUITO, EM CASA! ESTE MOMENTO É DIFÍCIL PARA TODOS, MAS JUNTOS VAMOS SUPERAR OS OBSTÁCULOS!! PARABÉNS PARA AS FAMÍLIAS COMPROMETIDAS, PROFESSORES, MÉDICOS, ENFERMEIROS, ENTREGADORES, SEGURANÇA PÚBLICA, ESTE É O MOMENTO DE UNIRMOS FORÇAS !!!!
PAZ E LUZ!